Verossimilhança
Rio de Janeiro, 17.
POETA-INEPTA ©
Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida. A música embala, as artes visuais animam, as artes vivas (como a dança e a arte de representar) entretêm. A primeira, porém, afasta-se da vida por fazer dela um sono; as segundas, contudo, não se afastam da vida - umas porque usam de fórmulas visíveis e portanto vitais, outras porque vivem da mesma vida humana. Não é o caso da literatura. Essa simula a vida. Um romance é uma história do que nunca foi e um drama é um romance dado sem narrativa. Um poema é a expressão de ideias ou de sentimentos em linguagem que ninguém emprega, pois que ninguém fala em verso.
Fernando Pessoa  (via bau-das-palavras)
Hoje de manhã eu acordei e fiquei olhando para tudo catatônica, um misto de susto com deslumbramento. Me dei conta de que essa é a pior e a melhor fase da minha vida. Eu nunca andei tão triste e nem tão feliz. Foi difícil enterrar tantos mortos e tantas rotinas, mas está sendo muito fácil viver dentro de mim.
Tati Bernardi. (via recomendar)

(Source: enttreaspas)

itslatingirl:

instagram
Inovar na escrita. Mudar o conceito. Alterar a arte. Separar o bom do bom senso. Mostrar que sem rima ainda podemos criar poesia. Dizer que a poesia não precisa protelar. Não tem prazo, nem atraso, nem momento, nem termômetro. Ela é por ser. A poesia, dizem por aí, nem sempre é o que o poeta quer conceber. Muitas vezes ela dança, escorre disforme, pelos locais mais apertados, uns incólumes, deixando que as ruas se encham de sons. Os poetas são uns ocos ao acharem que controlam mais que a própria bexiga. A verdade é que todo mundo tem um tique taque por dentro mostrando o ritmo para levar a vida. Uns exteriorizam. Uns internam. Os mais sensíveis, suam decassílabos. Escandir o poeta, invadir a poesia e, como em um rito, entoar altas rimas elevando o ser e sua busca pela expressão. Poetas são sempre pessoas.
A.E.C Souza  (via bau-das-palavras)

(Source: eufemizador)

Abraço é coisa tão séria que não se empresta, se dá. E quando os corpos se encostam, todos os chakras se tocam. Abraço é coisa tão séria que junta os dois corações: pode ecoar para sempre ou esvaziar por inteiro. Pois quando a gente abraça, traz para dentro a pessoa: com bagagem, passado, infância, viagens e o principal: seu perfume espiritual. E o que recebemos nem sempre é o que damos, por isso alguns são afagos que nutrem por um longo tempo e outros, desespero pra matar a fome, um devoramento. Recuso abraçar levianamente, abraço com meu enrosco de afeto demais, amor puro, corpo colado para o abraço ser sentido, ter sentido. Abraço que é de verdade pode até ser dado de longe, pois ultrapassa as esferas e desconhece distâncias, é todo feito de encontro. Abraço é coisa tão séria que há de ser doce, leve, divertido, espontâneo, mesmo quando acalanto, colo ou celebração. A gente agarra por impulso de carinho porque a sintonia é a mesma. E quando o abraço termina, quando ele é dado de graça, fica a cosquinha no peito, uma brisinha na alma e a harmonia instalada.
Marla de Queiroz (via reclinado)

(Source: brecho-de-flores)

De alguma forma estranha, eu sinto que gosto de você…

bau-das-palavras:

“Sinto sua falta. Não devia, mas sinto.”

(Source: incalculado)

Nós temos um jeito estranho de nos pertencermos.
Gramaticas.  (via gramaticas)
O post é voz que vos libertará!
O teatro mágico
Amanhecerá de novo em nós? Amanhã será…

O teatro mágico